Técnico em Enfermagem

TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Quem pode se inscrever nos cursos técnicos?

Idade mínima para fazer o curso: 18 anos.

Escolaridade mínima para fazer o curso: Ensino Médio completo ou estar cursando o Ensino Médio com previsão de conclusão concomitante ao curso técnico.

Há três formas de concluir o curso técnico:

Concomitante: Quando o aluno cursa o ensino médio e o ensino técnico ao mesmo tempo, porém em instituições diferentes.

Integrado: Quando o curso é, ao mesmo tempo, ensino técnico e médio.

Subsequente: Quando o aluno ingressa no curso técnico após a conclusão do ensino médio.

Quais os documentos necessários para a matrícula?

Fotocópias do certificado de conclusão de ensino médio se já concluído ou declaração de devidamente matriculado no ensino médio caso cursando, ou certificado curso equivalente.

Fotocópias do Histórico Escolar do Ensino Médio.

Fotocópias do CPF.

Fotocópias da Carteira de Identidade.

Foto 3×4 (recente); ou tirar foto na webcam da instituição.

Fotocópias do comprovante de residência.

Fotocópias da carteira de vacinação.

Contrato de prestação de serviço educacional fornecido pela Instituição, devidamente preenchido e assinado pela instituição e pelo aluno, se o aluno for menor de 18 anos pelo responsável.

Habilitação?

Técnico em Enfermagem
Eixo tecnológico?

Ambiente e saúde.
Atributos do Profissional?

Precisão, Paciência e doação
Curso Técnico em enfermagem?

O curso técnico em enfermagem forma profissionais de nível técnico para atuar na área de saúde em diversas funções da assistência à área de enfermagem até os cuidados com os pacientes, em hospitais, clinicas empresas e farmácias, podendo trabalhar de forma independente através de serviços a domicilio.

Tem duração média de dois anos. Possui disciplinas do campo das ciências biológicas, mas o aluno também terá contato com matérias de administração, sociologia e psicologia. Alguns cursos de técnicos em enfermagem possuem uma especialização, ou seja, um foco maior em determinada área da enfermagem, como: saúde pública e obstetrícia.

O que é enfermagem?

A Enfermagem vai além do atendimento às necessidades básicas do ser humano, no momento em que ele está fragilizado, envolvendo o compromisso com a assistência à vida, o autocuidados, a autoestima, a autovalorização, a cidadania do outro e da própria pessoa que cuida. A Enfermagem desenvolve, de forma autônoma ou em equipe, atividades de promoção e proteção da saúde, prevenção e recuperação de doenças.

O que é o enfermeiro?

No Brasil, o enfermeiro é um profissional de nível superior da área da saúde, responsável inicialmente pela promoção, prevenção e na recuperação da saúde dos indivíduos, dentro de sua comunidade. O enfermeiro é um profissional preparado para atuar em todas as áreas da saúde: assistencial, administrativa e gerencial.

O Técnico em enfermagem?

O Técnico em Enfermagem é o profissional que atuará, em conjunto com o enfermeiro, na prestação de cuidados aos pacientes em situações críticas e emergenciais, em todas as unidades hospitalares como: Centro Obstétrico, Centro Cirúrgico, UTI e Sala de Emergência. Este profissional é ainda responsável pelo apoio a tarefas administrativas, como por exemplo, elaboração de escalas de trabalho.

Campos de Atuação?

Hospitais públicos e privados;

Redes ambulatoriais;

Unidades básicas de saúde;

Atendimento domiciliar, em instituições de longa permanência;

Consultórios/Clínicas médicos e dentários;

Centros cirúrgicos;

Laboratórios de análises clínicas e unidades de diagnóstico;

Atendimento de urgência;

Creches, spas, instituições;

Casas de ressocialização, abrigo e casa de repouso, dentro outros, nos quais a assistência à saúde seja necessária.

Por que ser um Técnico em Enfermagem?

Para ter uma ideia da necessidade do profissional no mercado, é ele quem realiza as tarefas de rotina diariamente em um hospital, ações que foram programadas pelos enfermeiros.

Mas vale ressaltar que somente a pessoa que tem a qualificação no curso técnico poderá exercer esse tipo de função, e nenhuma outra. Também importante ressaltar a falta de profissionais no mercado de trabalho, a cada ano milhares de vagas são para esta função, qual depende de pessoas qualificadas profissionalmente e habilitadas pelo conselho de classe o COREN (conselho regional de enfermagem).

Existe algum processo seletivo para ingressar nos cursos técnicos?

Não, sem prova de seleção, sem vestibular, e só matricular e iniciar o curso.

Qual a média salarial?

A média salarial do técnico em Enfermagem está entre R$ 1.800,00 e R$ 2.500,00 Informações salariais: Catho Online

Carga Horária total do curso

O curso tem carga horária de 1200 hora/aula, teóricas e práticas na própria instituição de ensino e 600 hora/aula de estágio supervisionado em hospitais conveniados.

Duração do curso

Mínima de 24 meses, divididos em 4 módulos de aulas teóricas e práticas na instituição de ensino e em participações com a comunidade e estágio obrigatório supervisionado em hospitais conveniados da região.

Qual o horário dos cursos oferecidos?

Períodos do curso

Aulas de segunda-feira a quinta-feira

Noturno das 19h às 22h

Quem são os docentes da OPÇÃTEC?

Nosso corpo docente e formado de profissionais com formação superior e especialização e atuação na área, contamos com Mestres e Doutores, porem em virtude dos cursos técnicos serem modulares e os professores contratados por disciplinas, levando em consideração que a principal atividade profissional deles em hospitais e instituições de saúde, e seus turnos de jornada de trabalho sofre mudanças constante, assim podemos informar os docentes atuais, e garantir que a qualidade do quadro sempre rege o mesmo padrão.

Uso de uniforme?

O uniforme e obrigatório pois o aluno de um curso na área de saúde deve vir as aulas com jaleco branco de manga longa para as atividades práticas, qual tenha pelo menos sua identificação pessoal e do curso.

Quanto ao estágio?

Períodos de estágio – A coordenação do Sistema Educacional OPÇÃOTEC solicita junto ao CECAPS (Assessoria de Formação e Capacitação Permanente dos Trabalhadores de Saúde) órgão municipal, período e horários e área de atuação para os estágios, sempre tentando manter o período de aula teórica e pratica qual o aluno está matriculado, mas quem define realmente e agenda junto as instituição de saúde e o CECAPS. No período de estágio não haverá aulas teóricas, portando o estágio substitui o período de aula em sala.

Custo do estágio – O custo de cada estágio em enfermagem, está entre R$-50,00 e R$-70,00 por aluno, este custo não está incluso na mensalidade escolar, este valor e para repor as instituição de saúde que acolhe o estagiário, os materiais utilizado para proteção individual do próprio estagiário, os EPI – Equipamento de Proteção Individual, sendo adquirido mascaras, luvas, tocas, aventais, óculos entre outros que se torne necessário conforme o setor de estágio. É necessário que o aluno procure uma instituição qual ele faça seu Seguro de Acidente Pessoal especifico para aluno pelo período de estágio, sem este seguro as instituição de saúde não permite a permanência do aluno.

Definição de Estágio profissional obrigatório – É uma conformidade ao perfil da profissão para a conclusão do curso, o estágio obrigatório não pode ser remunerado, o aluno deverá ter 100% de frequência, mesmo aqueles alunos que comprovarem o exercício profissional correspondente às funções de Técnico ou Auxiliar, não estarão dispensados do Estágio.

Avaliação do Estágio – Envolve a frequência e o aproveitamento levando em consideração o comportamento, conhecimento e desempenho.

Comportamento: O cumprimento dos princípios éticos e morais que regem a vida profissional, comprometimento com o desenvolvimento do trabalho, valorizando a iniciativa, criatividade e a capacidade do discente de reflexão crítica e interação com os colegas, professores e outros profissionais.

Conhecimento: Avaliar a aplicação dos conhecimentos técnicos de enfermagem inerentes a sua função de acordo com a Lei do Exercício Profissional, resgatando os conceitos de saúde mental e a relação teoria-prática.

Desempenho: Avaliar a capacidade do aluno na comunicação verbal, não verbal e escrita, saber lidar com o sofrimento humano, receptividade nas orientações, aplicação das técnicas de comunicação terapêutica voltadas para a melhora do paciente, aplicação e execução das técnicas de enfermagem, entre outros.

Uniforme de estágio?

Uniforme sempre de cor branca – calça comprida, blusa, camisa ou camiseta com manga, sapato branco de couro e Jaleco.

As mulheres com o cabelo preso, perfume suave, maquilagem suave, é proibido o uso de roupa transparente, curta ou decotada e assessórios.

Os homens com a barba feita, cabelo curto, unhas curtas, asseados e desodorizados é proibido o uso de assessórios.

O uniforme e obrigatório e o custo é do aluno, não estando embutido no valor da mensalidade.

Condutas: Comparecer ao local de estágio com 10 minutos de antecedência. Após o horário e por relevante, o aluno entrará somente com autorização prévia do professor.

É proibido se ausentar do local de Estágio sem a comunicação prévia ao professor.

Não é permitida falta. Em caso de falta justificada conforme item do Sistema de Avaliação, Recuperação e Promoção, o aluno deverá fazer a reposição do estágio, fora do período letivo.

Qual é a nota mínima para aprovação?

Avaliação: O professor avaliará o aluno através de provas, trabalho, frequência e desenvolvimento das habilidades nas aulas práticas e estágios. Todas as avaliações são por disciplinas individuais, tendo que atingir média da nota 6,0 e frequência acima de 75% nas aulas teóricas e práticas, e 100% no estágio, avaliação por conselho de classe e a reprova em uma disciplina do módulo implicará em refazer o módulo na integra. A segunda chamada de prova e avaliação tem um custo, deve ser requerida na secretaria, e a instituição disponibiliza de um calendário letivo com as datas disponíveis para aplica-las.

Certificação: A certificação será concedida ao aluno que tiver média 6,0 em cada disciplina e frequência acima de 75% nas aulas teóricas e práticas, e 100% no estágio. O certificado é emitido pela instituição de ensino, perante autorização do CEE-Conselho Estadual de Educação e liberação da SEED–Secretaria de Estado da Educação, sendo que o prazo para entrega do Diploma fica vinculado ao processo de autorização e liberação do Sistema Estadual o qual temos a obrigação de enviar os documentos, processos e relatórios a nos pertinentes, mas não temos poder de intervir ou acelerar. O Diploma Técnico em Enfermagem é reconhecido em todo Território Nacional, inclusive pelo Conselho de classe COREN e sua Federação FNE.

Colação de Grau?

Apesar da não obrigatoriedade, a OPÇÃOTEC faz questão de realizar a cada semestre a cerimônia de Colação de Grau dos concluintes dos Cursos Técnicos, data está definida pela instituição com programação no calendário letivo. É um momento de concretização de sonhos e início de novas etapas, por isso a importância. Os procedimentos são os padrões de uma Colação de Grau, onde todos os formandos, de beca, assinarão a ata, receberão um diploma simbólico.

O curso é autorizados pelo MEC?

Os conselhos estaduais de educação são responsáveis pela autorização, regulamentação e reconhecimento das instituições ensino privadas que ofertam cursos técnicos. As Escolas Técnicas reconhecidas por seus pelo respectivo Conselho de Educação de seu estado deverão ser cadastradas no SISTEC/MEC. Você pode conferir clicando no link a seguir:

http://sistec.mec.gov.br/consultapublicaunidadeensino

REGISTRO DE AUTORIZAÇÃO JUNTO AO MEC / CEE / SEED – ATO 4158/2013

MANTENEDORA – OPÇÃO SISTEMA EDUCACIONAL LTDA – ME

Sobre as aulas práticas em um ambulatório na própria instituição?

Nosso ambulatório e bastante satisfatório, bem completo de instrumentações cirúrgicas, bonecos adulto e pediátricos, assessórios, materiais para simulação de aplicações, curativos e procedimentos, bonecos para simulação de primeiros socorros, o ambulatório está pronto para desenvolver simulações para práticas de procedimentos básicos, procedimentos cirúrgicos, procedimentos pediátricos,  procedimentos de urgência e emergência, com materiais para pratica, assim fazendo com que o aluno consiga visualizar um campo de trabalho, simulando em pratica o que vai realmente acontecer, pois isso facilita ao aluno no momento do estágio dando mais segurança, sabemos que entre a teoria e a pratica existe fatores complexos como o estado psicológico, as habilidades, a confiança pratica, e o procedimento realizado por várias vezes tona a competência eficaz,  assim o aluno imagina o que pode acontecer no seu dia a dia, e não haverá surpresas.

O que se aprende no curso de enfermagem?

Técnicas Básicas de Enfermagem – Conceituação de História e de Enfermagem. Enfermagem no contexto sócio- político-econômico-cultural. Análise crítica do processo evolutivo da Antiguidade aos nossos dias. O saber da enfermagem. Concepções teóricas de enfermagem. Fundamentos de metodologia da assistência e instrumentos básicos de enfermagem. Relação interpessoal. Processo Saúde-Doença. Procedimentos e ações de enfermagem ao usuário da rede básica de saúde, ambulatórios, escolas e outras instituições sociais. Metodologia da assistência e procedimentos básicos de enfermagem. Ações de enfermagem ao cliente hospitalizado.

Anatomia e Fisiologia Humanas – Estuda conceitos básicos integrados sobre anatomia, morfologia, microscopia e funcional dos órgãos e sistemas do corpo humano e seus mecanismos reguladores, descrevendo os aspectos morfofuncionais dos sistemas esqueléticos, articular, muscular, circulatório, respiratório, digestivo, urinário, reprodutor, endócrino, tegumentar e nervoso.

Microbiologia e Parasitologia – Características gerais de bactérias e vírus – morfologia e citologia bacteriana. Fisiologia e genética bacteriana. Método de controle de crescimento de microrganismos. Características gerais dos antimicrobianos. Mecanismo de virulência bacteriana. Microbiota normal do corpo humano. Estudo das principais bactérias patogênicas para o homem. Características gerais dos vírus. Principais viroses de importância médico- humana. Cultivo, isolamento e identificação de bactérias. Coleta e transporte do material clínico humano. Infecção hospitalar.

Nutrição e Dietética – Fundamentos de nutrição: nutrientes básicos; tipos de dietas; metabolismo basal. Nutrição nos diversos períodos do ciclo vital. Educação nutricional. Fundamentos da dietoterapia. A dietoterapia na prevenção e tratamento de doenças.

Psicologia Aplicada a Ética Profissional – O normal e o patológico. Aspectos Psicológicos do processo saúde / doença. O homem diante da enfermidade. Aspectos psicossomáticos da doença. A hospitalização. Latrogia. Psicologia Geral: A Psicologia como suporte nas relações humanas. A Psicologia e a construção do sujeito. Personalidade e sua formação. A teoria Psicossocial de Erikson. Instrumentação dos conhecimentos no exercício da profissão. Aspecto Estrutural, funcional e do Desenvolvimento do Aparelho Psíquico. Psicologia Evolutiva. Ética profissional.

Farmacologia – Princípios Gerais. Farmacocinética. Relações entre concentração e efeito das drogas. Drogas que atuam nas sinapses e nas junções neuroefetoras. Neurotransmissão Autocóides e anatogonistas. Farmacologia Respiratória. Drogas que atuam nas doenças infecciosas. Farmacologia do sangue. Farmacologia clínica da dor e da inflamação. Farmacologia Digestiva. Psicofarmacologia. Hormonioterapia e Anticoncepcionais Hormonais. Cálculo de medicação. Estudo da ação de drogas sobre diferentes sistemas do organismo de modo a obter elementos que orientem o seu uso – Base da Farmacologia. Cálculo de dosagem de medicamentos.

Enfermagem em Doenças Transmissíveis – Assistência de enfermagem nas doenças transmissíveis em nível primário, secundário e terciário, com ênfase na determinação social do processo saúde-doença, no controle das fontes de infecção e na vigilância epidemiológica das doenças transmissíveis, sob a forma de ensino teórico e estágio supervisionado. Notificação compulsória.

Enfermagem em Clínica Cirúrgica – Estudo da metodologia da assistência da enfermagem a pacientes no pré, trans. e pós-operatório das cirurgias em geral, enfatizando os problemas de domínio psico-biologico, estudo: dos princípios e métodos de assepsia e esterilização, enfocando as técnicas assépticas e sua aplicação no centro cirúrgico; do controle da infecção hospitalar em pacientes cirúrgicos; da estrutura e funcionamento do centro cirúrgico, centro material e esterilização e sala de recuperação; sobre hemostasia e o aparelho de eletrocoagulação; das noções sobre instrumentação cirúrgica e anestesiologia. A disciplina privilegiara o caráter pratico da aplicação de conhecimentos através de pratica supervisionada na unidade de intervenção cirúrgica, no centro de material e esterilização, na sala de operação e na sala de recuperação pós-anestésica. Terminologias cirúrgicas, tipos de cirurgias e curativos. Posições cirúrgicas. Classificação do tratamento cirúrgico: conceituação de termos empregados na área hospitalar cirúrgica; característica dos períodos operatórios; abordagem da assistência de enfermagem nas diversas afecções cirúrgicas. Características do centro cirúrgico, da central de material e recuperação pós-anestésica com sua planta física, finalidades, recursos humanos e materiais. Importância da enfermagem no controle de infecção hospitalar.

Enfermagem em Clínica Médica – Caminho pedagógico do cuidar / ensinar. Assistência de enfermagem sistematizada a clientes adultos e idosos internados em unidades de clínicas médicas e cirúrgicas especializadas, abrangendo pacientes com afecções agudas e crônicas de grande complexidade em diferentes áreas (especialidades), incluindo problemas oncológicos, com desenvolvimento de atividades práticas. Assistência à família e cuidadores. Prevenção de acidentes no hospital. Aspectos éticos na assistência de enfermagem. Patologias relacionadas ao ser humano. Conceito do Cuidado Intensivo; Organização da Unidade; Planta Física e Equipamento e dotação de pessoal; Elementos Básicos na Organização do Cuidado Progressivo do Paciente; A Problemática do Paciente na Unidade de Terapia Intensiva.

Enfermagem em Centro Cirúrgico em Doenças – Conceito geral da unidade, Cirurgia: conceituação geral e divisão; Controle de Infecção em cirurgias, Tempos cirúrgicos, Instrumental e Material Cirúrgicos, Técnica de preparo da mesa de instrumentação, Analgesia e anestesia, Tipos de Anestesia, Sala de Recuperação Pós Anestésico, Pós-Operatório Imediato, Central de Material Esterilizados.

Enfermagem em Saúde Pública e Domiciliar – Descentralização. Assistência de enfermagem à saúde da criança, do adolescente, da mulher e do adulto relacionando-a com a saúde do trabalhador e do idoso, nos serviços de atenção primária e secundária. SUS, PSF, Políticas Públicas. Imunização da criança do adolescente, do adulto e do idoso. Voltados ao atendimento humanizado. Administração dos serviços de saúde pública no Brasil. Gestão de recursos humanos na área da saúde. Organização sanitária brasileira. Organização dos serviços de saúde pública. Administração dos serviços de enfermagem na rede básica. Imunizações. Revisão para concurso.

Enfermagem Neuropsiquiátrica – Estrutura da personalidade, divisão da psique; anatomia evolutiva da personalidade, desenvolvimento da personalidade, maturidade emocional, fatores que influenciam o crescimento e o desenvolvimento. Estrutura da personalidade, divisão da psique; anatomia evolutiva da personalidade, desenvolvimento da personalidade, maturidade emocional, fatores que influenciam o crescimento e o desenvolvimento. Conceitos de Saúde mental, Teoria das crises e da adaptação. Fatores que predispõe e precipitam o distúrbio mental, prevenção do suicídio; comunicação, observação e interpretação na saúde mental, medidas preventivas da enfermidade mental: prevenção primária, secundária e terciária.

Enfermagem Obstétrica – Consulta de enfermagem a gestantes em Unidades Básicas de Saúde, (pré- natal). Admissão da gestante, acompanhamento do trabalho de parto e parto. Recepção e primeiros cuidados ao recém-nascido. Assistência de enfermagem a puérpera, recém- nascido(s) e familiares em Unidade Hospitalar. Visitas domiciliares a puérperas e seus significantes. Estudo de caso envolvendo gestante e sua família no pré-trans. e pós-parto. Acompanhamento programa DST-AIDS em Unidade Básica de Saúde. Consulta de Enfermagem a clientes portadores de DST. Coleta de material para bacterioscopia. Coleta de material colpocitologia oncótica e consulta de enfermagem a essas clientes. Acompanhamento avaliação médica clientes com problemas ginecológicos.

Enfermagem Pediátrica – Introdução a Enfermagem Pediátrica; histórico, conceitos, divisão e definição em pediatria e puericultura; crescimento e desenvolvimento. Assistência de Enfermagem à criança sadia: aleitamento materno, desmame, necessidades nutricionais, Instituições de assistência à criança sadia. Assistência de Enfermagem a Situações Comuns na Infância e adolescência e à Criança e adolescente doentes; Procedimentos Técnicos Comuns no Cuidado à criança e adolescente normais e á criança excepcionais. Neonatologia: conceito, Idade Gestacional (IG), Peso ao nascer, Recém-Nascido- (RN)a Termo, RN Pré- Termo, Pós-Termo, RN de Baixo Peso, Assistência de Enfermagem ao RN, Assistência de Enfermagem durante a Fototerapia e Doenças Comuns ao Período Neonatal. Desenvolvimento de atividades práticas de enfermagem na assistência à criança e adolescente sadios e doentes em hospitais, Unidades de internação e neonatologia em hospitais gerais, centros de saúde, APAE e Centro de Educação Infantil, Conselho Tutelar, Juizado de menores.

Noções de Adm. De Unidade de Enfermagem – A organização moderna. As funções administrativas: planejamento, controle e coordenação. As áreas funcionais: recursos humanos, produção, marketing, finanças, informações, etc. O movimento pela Qualidade. Tendências da gestão da saúde no Brasil: aspectos micro e macro.

Enfermagem em socorro de Urgência – Atendimento Inicial em Pronto Socorro, cuidados e manipulação em politraumatismo, atendimento em situação de choque, crise hipertensiva, sinais de coma, distúrbio metabólico, emergência psiquiátrica, grandes feridas, amputação (manejo e conservação de membro).

Neonatologia – Proporcionar a capacitação, aperfeiçoamento e qualificação profissional técnico em enfermagem para atuar na assistência ao recém-nato e sua família de forma integral, a partir de estudos e discussão dos princípios teóricos/práticos dentro dos contextos histórico, social, político, ético, biológico, e humanístico relacionados com a atual realidade profissional.

Grade Curricular detalhada?

Módulo I –

  • Anatomia e Fisiologia Humanas (72h)
  • Microbiologia e Parasitologia (52h)
  • Técnicas Básicas de Enfermagem (88)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Técnicas Básicas de Enfermagem (120)
  • Nutrição e Dietética (40h)
  • Farmacologia l (48)
  • Psicologia Aplicada e Ética Profissional (40h)

Módulo II –

  • Enfermagem em Doenças Transmissíveis (48)
  • Enfermagem em Clínica Médica I (76h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Clínica Médica I (40h)
  • Enfermagem em Clínica Cirúrgica I (76h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Clínica Cirúrgica I (40h)
  • Enfermagem em Socorro e Urgência (32)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Socorro e Urgência (12)
  • Enfermagem em Centro Cirúrgico (76)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Centro Cirúrgico (40)

Módulo III –

  • Enfermagem Neuropsiquiátrica (48h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem Neuropsiquiátrica (24h)
  • Enfermagem em Saúde Pública e Domiciliar l (72h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Saúde Pública e Domiciliar l (54h)
  • Enfermagem Pediátrica (72h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem Pediátrica (54h)
  • Enfermagem Obstétrica (72h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem Obstétrica (54h)

Módulo IIII –

  • Enfermagem em Clínica Médica II (60h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Clínica Médica II (48h)
  • Enfermagem em Clínica Cirúrgica II (60h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Clínica Cirúrgica II (48h)
  • Farmacologia ll (48h)
  • Noções de Administração Unidade de Enfermagem (48h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Noções de Administração Unidade de Enfermagem (48h)
  • Enfermagem em Neonatologia (48h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Neonatologia (08h)
  • Enfermagem em Saúde Pública e Domiciliar l (24h)
  • Estágio Profissional Obrigatório – Enfermagem em Saúde Pública e Domiciliar l (10h)

Qual o conselho de classe da categoria?

COREN-PR (Conselho Regional de enfermagem do Paraná)

FNE (Federação Nacional dos enfermeiros)

Como cadastrar e filiar-se junto ao conselho de classe ao final do curso?

Relação de Documentos para inscrição no COREN – Conselho Regional de Enfermagem

Para profissionais de Técnico em Enfermagem

Diploma ou Certificado;

Certidão de Nascimento ou Casamento (com averbação de separação, divórcio, óbito, quando houver);

CPF e RG (caso não possua RG, também será aceito a Carteira de Motorista ou Carteira de Trabalho);

Título de Eleitor e comprovante da última votação eleitoral e/ou Certidão de quitação eleitoral emitida pela Justiça Eleitoral (podendo ser retirada via internet – http://www.tse.jus.br);

Certificado de Reservista (para os homens acima de 18 anos até os 45 anos);

2 (duas) fotos 3/4 (padrão para documento oficial, recente, colorida, sem data e com fundo branco);

Comprovante de Residência, preferencialmente em nome do profissional, emitido nos últimos seis meses; Carteira provisória, se já teve inscrição provisória junto ao COREN-PR;

Recolhimento bancário da taxa fornecida pelo COREN.

http://www.corenpr.gov.br/portal/index.php/profissional/registro-e-inscricao/110-documentos-para-inscricao